libertyzine
Este texto foi publicado originalmente como um panfleto com o título "Droits différentiels" e é o capítulo 8 da primeira série do livro Sophismes économiques, de 1845.

***

Um pobre fazendeiro da Gironda1 havia cultivado cuidadosamente uma videira. Depois de muita fadiga e estafa, ele finalmente teve a boa fortuna de colher uvas suficientes dela para fazer um barril de vinho e esqueceu que cada gota desse precioso néctar havia custado a sua testa uma gota de suor. "Eu o venderei", ele disse a sua esposa, "e com os ganhos eu comprarei material suficiente para possibilitar a você fazer um enxoval de noiva para nossa filha."

O honesto camponês levou seu barril para a cidade mais próxima e lá ele encontrou um belga e um inglês. O belga disse a ele: "Dê-me seu barril de vinho e eu lhe darei quinze maços de fios de algodão em troca."

O inglês disse: "Dê-me seu vinho e eu lhe darei vinte maços de fios de algodão, pois nós ingleses o fiamos a um menor custo que os belgas."

Mas o oficial da alfândega que estava lá disse: "Meu bom homem, troque com o belga, se desejar, mas tenho ordens para evitar que você comercie com o inglês."

"Quê!", exclamou o homem. "Você quer que eu me contente com quinze maços de Bruxelas quando eu poderia ter vinte de Manchester?"

"Certamente; não vê que a França perderia se o senhor recebesse vinte maços em vez de quinze?"

"Eu acho isso difícil de compreender", disse o vinicultor.

"E eu acho difícil de explicar", explicou o oficial; "mas é um fato; pois todos os nossos deputados, ministros e jornalistas concordam que quanto mais uma nação recebe em troca de uma dada quantidade de seus produtos, mas pobre ela se torna."

O fazendeiro teve que comerciar com o belga. A filha do fazendeiro ganhou apenas três quartos de seu enxoval e aquelas boas pessoas ainda estão imaginando como é possível que uma pessoa seja arruinada por receber quatro maços de fios de algodão em vez de três e por que uma pessoa é mais rica com três dúzias de toalhas do que com quatro dúzias.



Notas:

1 [N.T.] Gironda é uma região a sudoeste da França famosa por vinhos como o Médoc, Sauternes e Graves.
Frédéric Bastiat (1801-1850) foi um economista, panfletista, liberal clássico e membro da Assembléia Nacional Francesa. Seus trabalhos mais conhecidos estão disponíveis em Bastiat.org.
 Blogger.com