libertyzine
15 de jun de 2008
00:45
Data: Terça-feira, 17 de maio, às 19h30.

Local: Residência do editor de Liberty, Avenida Garfield, número 10, Crescent Beach, Revere (uma cidade nos arredores de Boston).

Dramatis Personæ: Charles F. Fenno, coletor de impostos de Revere, e o editor de Liberty.

Fenno: O sr. Tucker vive aqui?

Editor de Liberty: Esse é meu nome, senhor.

F.: Vim tratar do imposto comunitário.

E.de L.: Devo algo ao senhor?

F.: Bom, não, mas o senhor estava vivendo aqui no primeiro de maio do ano passado e a cidade lhe cobrou um dólar em imposto.

E.de L.: Ah! Não é uma questão de acordo, portanto?

F.: Não, é uma questão de compulsão.

E.de L.: Não seria essa uma palavra um tanto amena? Eu chamo isso de roubo.

F.: Ora, diabos, o senhor conhece a lei, ela diz que todas as pessoas de vinte ou mais anos de idade que estejam vivendo numa cidade no primeiro dia de maio...

E.de L.: Sim, eu sei o que diz a lei, mas a lei é o maior de todos os ladrões.

F.: Pode muito bem ser. De qualquer maneira, eu preciso do dinheiro.

E.de L. (tirando um dólar de seu bolso e entregando-o a Fenno): Pois bem. Tenho consciência de que o senhor é mais forte do que eu, porque o senhor tem muitos outros ladrões consigo, e de que o senhor será capaz de tirar este dólar de mim se eu me recusar a entregá-lo. Se eu não soubesse que o senhor é mais forte que eu, eu o jogaria escada abaixo. Mas uma vez que eu sei que o senhor é mais forte, eu lhe entrego o dólar tal qual o entregaria a qualquer salteador. O senhor não tem mais qualquer direito de tomá-lo, entretanto, do que tem direito de entrar em minha casa e tomar tudo o mais em que seus dedos encostarem, e eu não entendo por que o senhor não faz isso.

F.: O senhor tem em mãos a sua fatura de impostos?

E.de L.: Eu nunca pego recibo de dinheiro que me é roubado.

F.: Ah, então é isso?

E.de L.: Sim, é.

E fechou a porta na cara de Fenno.

Ele parecia um inócuo e inofensivo indivíduo, totalmente ignorante da natureza ultrajante de sua conduta, e ainda deve estar imaginando, presumo eu, se não estiver consultando a respeito os outros cidadãos, que tipo de maluco vive no número 10 da Avenida Garfield, e se não seria sábio isolá-lo imediatamente num asilo para lunáticos.
Benjamin R. Tucker (1854-1939) foi um dos maiores defensores do anarquismo individualista americano do século XIX e grande expositor e tradutor das obras de Proudhon nos Estados Unidos. Foi da editor do jornal radical Liberty durante quase 30 anos.

Leia mais
Arquivo por Mês: · 2007/02 · 2007/03 · 2007/04 · 2007/05 · 2007/06 · 2007/07 · 2007/09 · 2007/10 · 2008/05 · 2008/06 · 2008/10 · 2009/05 · 2010/02 · 2011/11 · 2012/03 · 2012/07 · 2012/08 · 2012/11 · 2014/09
 Blogger.com